ImprimirImprimir

Muito boa tarde amáveis amigos e irmãos presentes e radiouvintes. É para mim um grande privilégio estar com vocês nesta ocasião para compartilhar uns momentos de companheirismo ao redor da Palavra de Deus e Seu Programa correspondente ao nosso tempo, para assim ver o tempo em que estamos vivendo e as bênçãos divinas que Deus tem para os seres humanos neste tempo final.

  Para o qual quero ler em Apocalipse, capítulo 2, versículo 17, onde diz:

  “Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe”.

  Que Deus abençoe nossas almas com a Sua Palavra e nos permita entendê-la, e nos dê a comer a todos desse Maná escondido.

  Nosso tema é: “O SÉTIMO SELO E O MANÁ ESCONDIDO”.

  Para que possamos compreender nosso tema, necessitamos saber o que foi o maná escondido no tempo de Moisés; do qual nos fala o apóstolo São Paulo em sua carta aos Hebreus quando fala sobre o templo ou tabernáculo que o profeta Moisés construiu. No capítulo 9, versículo 1 em diante, diz:

  “Ora, também a primeira tinha ordenanças de culto divino e um santuário terrestre.

Porque um tabernáculo estava preparado, o primeiro, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o Lugar Santo.

Mas, depois do segundo véu, estava o tabernáculo que se chama o Lugar Santíssimo,

Que tinha o incensário de ouro e a arca do concerto, coberta de ouro toda em redor, em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas do concerto;

E sobre a arca, os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora particularmente.

Ora, estando essas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços;

Mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo;”

  Nesta passagem podemos ver a importância do templo ou tabernáculo que o profeta Moisés levantou no meio do povo hebreu. Em seguida, mais diante, no tempo dos reis, o rei David quis levantar um templo para Deus, mas Deus lhe disse que seu filho Salomão seria quem levantaria esse templo.

  E qual é a importância destes templos no meio do povo hebreu? E como é possível que os pecados de um povo sejam perdoados e cobertos da presença de Deus e não sejam vistos por Deus? Oferecendo esses sacrifícios a Deus e realizando essas ordenanças divinas no templo, no sétimo mês de cada ano (que é o mês onde se realiza a oferta ou sacrifício da expiação).

  Ou seja: no dia dez do sétimo mês se realiza o sacrifício do bode. O sumo sacerdote nesse dia do ano entra no templo umas quantas vezes, mas sempre entra no lugar santíssimo com sangue, pois se entrar ali sem sangue morre; porque diante de Deus nenhuma pessoa pode se apresentar sem sangue da expiação do sacrifício. Por quê? Porque de outra forma os pecados da pessoa são vistos por Deus, e a recompensa do pecado é morte.

  E agora, o tabernáculo que o profeta Moisés construiu e o templo que o rei Salomão construiu, são tipo e figura do Templo que está no Céu. Por isso o rei Salomão foi um homem tão sábio, porque que homem na Terra pode construir um templo conforme o modelo que está no Céu? Somente um homem sábio; e isso tem que ser com sabedoria de Deus, a qual lhe mostre como está construído esse Templo no Céu; e ao primeiro que mostrou foi ao profeta Moisés.

  Por isso nesse templo, o sumo sacerdote levava o sangue da expiação desse bode no dia dez do sétimo mês, e o levava dentro, ao lugar Santíssimo, e o colocava sobre o Propiciatório (que viria ser, digamos, a tampa da arca).

  A arca era uma caixa de madeira grande coberta com ouro, onde estavam as tábuas da Lei, a vara de Aarão que reverdeceu e uma vasilha de ouro cheia de maná que pegaram no dia número seis para que em seguida… esse dia número seis era o dia que pegavam dupla quantidade, porque o dia número sete (que era sábado) não caía maná do céu. E agora, o dia número seis então também pegaram esse maná que colocaram nessa vasilha de ouro, e a colocaram no lugar Santíssimo; e esse maná não se corrompia porque estava (onde?) no lugar Santíssimo.

  Agora, vendo que o tabernáculo que Moisés construiu e o templo que Salomão construiu são tipo e figura, são a representação do Templo que está no Céu, vejam vocês porque as coisas que eram feitas nesse templo de Salomão e no tabernáculo que Moisés construiu eram aceitas por Deus no Céu, no Templo de Deus que está no Céu, do qual Melquisedeque é o Sacerdote ali.

  E Melquisedeque é o próprio Jesus Cristo em Seu corpo teofânico, por isso Ele é Sacerdote segundo a Ordem de Melquisedeque; não da ordem Levita, não da ordem ao qual pertencia Aarão e sua família, mas da Ordem celestial do Templo que está no Céu, que foi primeiro que o templo que Moisés construiu e que o templo que Salomão construiu.

  E agora, vejam vocês, com o sacrifício que ofereciam no dia dez do sétimo mês para a reconciliação do povo hebreu com Deus, o povo hebreu a cada ano ao oferecer esse sacrifício…, o qual era levado pelo sumo sacerdote ao lugar Santíssimo, o sangue era levado ali e era colocado sobre o Propiciatório, onde estava a presença de Deus na Luz da Shekinah; essa Luz que falou a Moisés e lhe disse: “Eu sou o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó”; essa Luz que libertou o povo hebreu e iluminava o caminho de noite, e de dia era uma nuvem que lhes cobria do sol, uma nuvem de sombra; e esse Deus Todo-Poderoso que apareceu a Moisés nessa Nuvem de Fogo, vejam vocês, estava onde? No tabernáculo que Moisés construiu, estava sobre o Propiciatório, no meio de dois querubins de ouro que estavam ali; e ali era onde Moisés levava o sangue, e em seguida o fazia Aarão: levava ali o sangue.

  Aarão era o sumo sacerdote, e a cada ano oferecia a Deus esse sangue; tanto oferecia o sangue da expiação pelo sacerdote e demais sacerdotes como também por todo o povo hebreu; e assim era perdoado o povo hebreu, seus pecados eram cobertos com o sangue desse bode.

  E quando algo é coberto, você o olha e não o vê, porque fica tampado com esse sangue, o pecado do povo hebreu; e quando Deus olhava o povo hebreu, não via pecado no povo hebreu. Era por isso; porque por meio dos sacrifícios que o povo hebreu oferecia a Deus, seus pecados eram cobertos com o sangue desses sacrifícios.

  E vejam vocês, o povo hebreu cometia erros, pecava diante Deus; e em seguida que Deus diga que não vê pecado no povo hebreu, isso é algo estranho; e o segredo está em que seus pecados estavam cobertos com o sangue desses sacrifícios.

  Por isso o povo hebreu tinha todos esses sacrifícios; e era conforme a Ordem Divina, conforme ao tipo e figura do Templo que está no Céu, eram tipo e figura das coisas celestiais; por isso é que esses sacrifícios funcionavam assim diante de Deus. Todos esses sacrifícios eram tipo e figura do Sacrifício de Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus, vê? E por isso atuavam nessa forma ante a presença de Deus, até chegasse o Sacrifício perfeito do Cordeiro de Deus, Jesus Cristo nosso Salvador.

  Quando Jesus Cristo chegou, encontramos que foi rejeitado pelo povo hebreu, o que operou para bem, porque de outra forma o teriam recebido e o teriam corado e não teria feito Seu Sacrifício por Seus filhos, então o povo teria que todo o tempo estar oferecendo a Deus sacrifícios de animaizinhos; porque o pecado do ser humano não pode ser tirado com os sacrifícios dos animaizinhos, porque somente cobre o pecado o sangue desses animaizinhos, porque é tipo e figura do Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário. O único sacrifício que tira o pecado é o Sacrifício de Jesus Cristo.

  E agora, vejam vocês, quando se realizou o Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário, daí em diante não necessita nenhum ser humano oferecer a Deus um animalzinho em sacrifício pelas suas faltas ou por seus pecados ou por seus pedidos.

  Ainda mais, vejam; Cristo disse que o templo de Jerusalém seria destruído, e foi destruído, pois já não faz falta ali um templo onde se ofereçam sacrifícios de animaizinhos, porque o Templo de Deus que está no Céu já tem um Sacrifício vivo: o Cordeiro de Deus, o qual morreu e em seguida ressuscitou e subiu ao Céu e se colocou no Lugar Santíssimo do Templo que está no Céu; e Seu Sangue foi colocado sobre o Propiciatório do Templo que está no Céu, lá no Lugar Santíssimo.

  E agora, o mesmo que o sumo sacerdote fazia na Terra, no templo terreno, o tem feito Cristo no Céu, no Templo que está lá no Céu. Cristo com Seu próprio Sangue foi ao Lugar Santíssimo do Templo que está no Céu e o colocou no Trono de Intercessão (ou seja: o assento de misericórdia), que é o lugar de Deus lá, o Trono de Deus no Céu; o qual estava tipificado no trono de intercessão ou o lugar do propiciatório ou propiciatório ali no templo de Salomão e o templo que Moisés construiu, no lugar Santíssimo.

  O mesmo que o sumo sacerdote fazia, colocando o sangue do bode da expiação sobre o propiciatório, é o que Cristo fez lá no Templo, mas o Templo que está no Céu. Portanto, já não esteve funcionando mais, sobre este planeta Terra, templo terreno, para colocar o sangue pelo pecado a favor dos seres humanos, mas o Templo que está no Céu.

  E por isso é que quando a pessoa recebe Cristo como seu Salvador compreendendo este mistério, seus pecados não são cobertos, porque o Sangue de Cristo não é para cobrir o pecado; o Sangue de Cristo é para tirar o pecado, seus pecados são tirados; e quando Deus olha a pessoa, a vê sem pecado; e se está sem pecado, pois a pessoa recebe o Espírito de Cristo, o Espírito de Deus, e obtém o novo nascimento, e nasce no Reino de Deus. Como nasceu na casa da sua família terrena, agora nasceu no Céu, na Família de Deus; e agora tem um corpo teofânico da sexta dimensão, um corpo chamado o Anjo de Jeová, que acampa ao redor dos que os temem e os defende.

  Nesse corpo é que vamos viver; quando nosso corpo terreno morrer, então vamos nesse novo corpo da sexta dimensão, de outra dimensão, e vamos ao Paraíso viver até que a ressurreição dos mortos em Cristo ocorra.

  E na ressurreição dos mortos em Cristo, que acontecerá com os que partiram, mas que já tinham lavado seus pecados no Sangue de Cristo e tinham recebido Seu Espírito, o que acontecerá? Pois ressuscitarão em um corpo novo, em um corpo eterno, já não um corpo mortal como o que temos; porque se ressuscitarem em um corpo como o que temos, mortal, voltarão a morrer; voltarão a morrer, como aconteceu com Lázaro, que Jesus Cristo o ressuscitou, mas voltou a morrer.

  Agora, por que Jesus Cristo o ressuscitou para depois voltar a morrer? Porque ali, ressuscitando Lázaro, Jesus Cristo estava mostrando ao povo que assim como ressuscitava Lázaro iria ressuscitar no Último Dia todos os crentes nele. Lázaro é tipo e figura de todos os crentes em Cristo que viveram nesta Terra e morreram fisicamente; têm a promessa de uma ressurreição no Último Dia; e quem prometeu esta ressurreição mostrou (ressuscitando Lázaro — que Ele tem o poder para ressuscitar todos os crentes n’Ele).

  Agora, vejam vocês, Cristo disse: “Eu sou a ressurreição”; e se Ele é a ressurreição, pois pode ressuscitar todos os mortos que creram n’Ele. Não é para ressuscitar todo mundo com um corpo eterno, é aos crentes n’Ele.

  A todo ser humano (mesmo que não seja um crente) o ressuscitara, sim, quando chegar o tempo para ser julgado diante do Trono de Deus; aí sim vai ressuscitar o resto dos seres humanos, e os vai ressuscitar no mesmo corpo que tiveram quando viveram aqui na Terra, e depois serão julgados. Mas vem uma ressurreição chamada a primeira ressurreição; essa ressurreição é para os crentes em Jesus Cristo.

  E agora, vejam no caso de Lázaro, Marta falando com Jesus:

  “Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.

Mas também, agora, sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus o concederá.

Disse-lhe Jesus: Teu irmão ressuscitará.

Disse-lhe Marta: Eu sei que ressuscitará na ressurreição do último Dia...”

Por que diz que sabe que ressuscitará na ressurreição no Último Dia? Porque Jesus tinha ensinado que Ele realizaria a ressurreição, no Último Dia, de todos os crentes n’Ele.

  E agora, aqui estou lendo no capítulo 11 de São João, versículos 21 ao 27; e Jesus lhe responde:

  “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;

E todo aquele que vive e crê em mim nunca morrerá. Crês tu isso?

Disse-lhe ela: Sim, Senhor…”

  E isso é o que nós também dizemos: “Sim, Senhor! Nós cremos que Tu és a Ressurreição e a Vida, e que nós, crendo em Ti não morreremos eternamente se o nosso corpo terreno morrer, mas que Tu nos ressuscitarás novamente em um corpo eterno.”

  E agora, onde Jesus Cristo prometeu a ressurreição dos crentes n’Ele para o Último Dia? Em São João, capítulo 6, versículo 39 ao 40, diz:

  “E a vontade do Pai, que me enviou, é esta: que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último Dia”.

  Para quando? Para o Último Dia. Que o ressuscite quando? No Último Dia.

  “E a vontade do Pai, que me enviou, é esta: que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último Dia”.

  A quem ressuscitará no Último Dia? Aos que creram em quem? N’Ele.

  E qual é o Último Dia? Essa é uma boa pergunta, porque a Bíblia fala aqui do Último Dia, Jesus fala do Último Dia, e em diferentes lugares da Bíblia fala dos últimos dias também.

  Quais são os últimos dias e qual é o Último Dia? Para poder compreender este mistério dos últimos dias e do Último Dia, temos que ler o que diz o apóstolo São Pedro em sua segunda carta, versículo 8, onde diz [capítulo 3]:

  “Mas, amados, não ignoreis uma coisa (se não o ignorarmos, então podemos entender o que são os últimos dias): que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos, como um dia”.

  Quando se fala de um dia diante de Deus, para os seres humanos é um milênio (ou seja: mil anos); e quando se fala dos últimos dias diante de Deus, se fala dos últimos milênios para os seres humanos. E quando nós falamos dos últimos dias da nossa semana, nos referimos à quinta-feira (que é o quinto dia), sexta-feira (que é o sexto dia) e sábado (que é o sétimo dia), e diante de Deus esses são os três últimos dias de uma semana diante de Deus; e para os seres humanos são os três últimos milênios, que são o quinto milênio, sexto milênio e sétimo milênio.

  Por isso é que agora podemos compreender porque São Paulo disse em Hebreus, capítulo 1 e versículo 1 ao 2:

  “Havendo Deus, antigamente, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimos dias…”

  Quando?

  “… nestes últimos dias, pelo Filho,

A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.”

  Quando diz que Deus falou por meio do Seu Filho? Nos últimos dias, e já transcorreram dois mil anos, se acrescentarmos ao calendário os anos de atraso que tem.

  Agora, estaria equivocado São Paulo ao dizer que aqueles dias onde Jesus esteve pregando eram os últimos dias? Se equivocaria? São Paulo não se equivocou. É que um dia diante do Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia; e quando se fala dos últimos dias, se fala do quinto milênio, sexto milênio e sétimo milênio; e quando Jesus tinha de 4 a 7 anos de idade, começou o quinto milênio e, por conseguinte, começaram os últimos dias diante de Deus, que para os seres humanos são os últimos milênios.

  E agora, veem que não há nenhuma contradição na Escritura? Vejam São Pedro também falando dos últimos dias, vejam o que diz: no livro dos Atos, capítulo 2, versículo 14 em diante, diz (isto foi no Dia de Pentecostes, quando alguns pensavam que eles estavam bêbados porque tinham recebido o Espírito de Deus):

  “Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a voz e disse-lhes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras.

Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo esta a terceira hora do dia.

Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:

E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos sonharão sonhos;

E também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e minhas servas, naqueles dias, e profetizarão;”

  Para quais dias Deus prometeu derramar do Seu Espírito? Para os últimos dias:

  “E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne…”

  E desde o dia de Pentecostes em diante, derramou do Seu Espírito sobre 120 pessoas, e daí em diante esteve derramando do Seu Espírito Santo sobre toda pessoa que creu em Cristo como seu Salvador, o recebeu como seu Salvador e lavou seus pecados no Sangue de Cristo; em seguida recebeu o Espírito de Cristo. Cristo derramou do Seu Espírito sobre milhões e milhões de pessoas que creram n’Ele do Dia de Pentecostes até aqui.

  E agora, o que aconteceu com essas pessoas? Pois nasceram de novo, nasceram no Reino de Deus. Cristo disse a Nicodemos que o que não nascesse de novo não podia ver o Reino de Deus, quem não nascesse de novo não podia entrar no Reino de Deus; tinha que nascer da Água e do Espírito, crendo em Jesus Cristo como nosso Salvador e recebendo Seu Espírito Santo; e assim é como se nasce no Reino de Deus, e assim é como a pessoa obtém vida eterna da parte de Cristo.

  De outra forma, a pessoa vive neste planeta Terra e ainda que ganhe todo mundo e se converta no maior milionário, de nada lhe serviria se não tem Cristo como seu Salvador e se não lavou seus pecados no Sangue de Cristo e recebeu Seu Espírito Santo. De nada lhe serve, porque do que vale ao homem, se ganhar todo mundo, e perder a sua alma? De nada serve.

  Por quê? O que a pessoa fez? A pessoa foi consigo mesma muito mais que muito cruel para consigo mesma, foi muito cruel com sua própria alma. Diríamos que pensou muito mal contra sua própria alma, porque tendo a oportunidade de viver eternamente a pessoa — que é alma vivente —, não aproveitou essa oportunidade, não creu em Cristo como seu Salvador, não lavou seus pecados no Sangue de Cristo e, por conseguinte, tem que morrer eternamente.

  Ou seja: perde o direito à vida eterna a pessoa que não aproveita a oportunidade que tem de lavar seus pecados no Sangue de Cristo para estar sem pecado diante de Deus.

  Já não precisa ir ao povo hebreu, lá ao templo de Israel, para o sacrifício de um animalzinho; nem sequer está o templo ali, para que ninguém esteja ali fazendo sacrifícios pelo pecado, porque Deus já enviou o Cordeiro Pascoal, Deus já enviou o Cordeiro perfeito, o Cordeiro de Deus, o qual tirou o pecado lá na Cruz do Calvário. E se faz efetivo esse Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário quando a pessoa o aceita como seu Salvador, e assim lava seus pecados no Sangue de Cristo. Se não o fizer, lamentavelmente a pessoa perde o direito à vida eterna tendo essa oportunidade.

  E olhem; o que pagará o homem por sua alma, pela salvação da sua alma? Não tem que pagar nada; veem? Nada tem que pagar. Se tivesse que pagar, nenhum ser humano teria o suficiente para pagar por sua salvação.

  Agora, vejam vocês, gratuitamente Deus proveu para nós esse sacrifício, e agora Deus não aceita outro sacrifício. Por isso foi tirado todo sacrifício lá no meio do povo hebreu.

  E agora, vejam o que aconteceu com o povo hebreu: não tem sacrifícios pelo pecado (lá na terra de Israel) e também não tem o Sacrifício de Cristo porque o rejeitou; e por isso o povo hebreu esteve passando por todas estas tribulações e Hitler por pouco extermina a todos. Por quê? Porque seus pecados não foram nem cobertos com os sacrifícios que antes tinham (porque já não têm os sacrifícios que antes tinham) e também não têm o Sacrifício de Cristo, não o receberam.

  Portanto, o Sacrifício de Cristo, o Sangue de Cristo, o que acontece? Se não for aplicado sobre os pecados, pois não os pode tirar; e eles rejeitaram o Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário, e por isso os pecados deles estiveram sendo vistos por Deus; e a recompensa do pecado, o que é? Morte, e por isso a morte esteve perseguindo o povo hebreu; por pouco Hitler os extermina. E atualmente, vejam, ainda estão em perigo, porque têm problemas com seus vizinhos; mas algum dia, algum dia eles compreenderão.

  Quando será? Quando entrar até o último dos escolhidos de Deus do meio dos gentios, então Deus lhes abrirá o coração e a mente, e então Deus os despertará por meio do ministério do Senhor Jesus Cristo em sua Segunda Vinda manifestando os ministérios de Moisés, de Elias e de Jesus.

  E então o povo hebreu dirá: “Isto é o que nós estamos esperando!” E aí lhe será contada toda a história de tudo o que aconteceu e de como Deus cegou os olhos do povo hebreu para que não vissem o Messias na sua Primeira Vinda, e o rejeitassem e fosse crucificado; e assim realizaria o Sacrifício pelo pecado, graças a que o povo hebreu rejeitou Cristo e pediu a morte de Cristo na Cruz do Calvário; graças a isso, nossos pecados foram tirados com o Sangue de Jesus Cristo, e não temos que ter um templo como o do povo hebreu para estar aí realizando sacrifícios pelo pecado.

  Cristo está no Templo do Céu como Sumo Sacerdote realizando os ofícios do Seu trabalho, fazendo intercessão ali por toda pessoa que tem seu nome escrito no Livro da Vida do Cordeiro, o qual foi escrito desde antes da fundação do mundo; e quando entrar o último dos escolhidos de Deus, então Cristo já terminará Seu trabalho ali como Intercessor, como Sumo Sacerdote, e sairá dali e reclamará a todos os que Ele redimiu com Seu Sangue precioso, e se revelará ao povo hebreu, e então o povo hebreu o receberá.

  Em Sua Segunda Vinda Cristo vai se revelar ao povo hebreu no tempo correspondente, e o povo hebreu vai dizer: “Este é o que nós estamos esperando!” Mas até que entre até o último dos escolhidos dentre os gentios, não poderá o povo hebreu obter esse conhecimento.

  Agora, como será neste tempo final para o chamado dos escolhidos do Último Dia, tanto dos escolhidos dentre os gentios como dos escolhidos do povo hebreu? Cristo prometeu dar do Maná escondido.

  E o que é o Maná escondido? Para o povo hebreu, o maná foi o que caiu do céu a cada dia pela manhã por quarenta anos. Na tarde caía carne (ou seja: codornas) e pela manhã maná; ou seja: tinham o café da manhã e em seguida tinham o jantar; e não trabalhavam. Deus esteve mantendo o povo hebreu por quarenta anos, e eram não menos de dois milhões de pessoas. Vejam vocês, o Deus Todo-Poderoso os manteve pelo deserto, e tudo isso para prová-los, para saber se serviriam a Deus ou não serviriam.

  Vejam; Deus nos fala no livro de Deuteronômio, capítulo 8, versículo 1 em diante, o motivo pelo qual teve o povo hebreu pelo deserto viajando por quarenta anos; porque essa era uma viagem que era feita em menos de um ano; e, vejam, levou quarenta anos o povo hebreu chegar à terra prometida.

  Deuteronômio, capítulo 8, versículo 1 em diante, diz:

  “Todos os mandamentos que hoje vos ordeno, guardareis para os cumprir, para que vivais, e vos multipliqueis, e entreis, e possuais a terra que o SENHOR jurou a vossos pais.

E te lembrarás de todo o caminho pelo qual o Senhor, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te tentar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos ou não.

E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram, para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas que de tudo o que sai da boca do Senhor viverá o homem.”

  Agora vejam o motivo pelo qual Deus passou o povo hebreu pelo deserto.

  Muitas pessoas quando estão bem economicamente dizem: “Deus é muito bom”, e querem servir a Deus; mas quando a situação é difícil na sua vida, algumas pessoas não querem servir a Deus.

  E toda pessoa desde o profundo do seu coração deve dizer: “Eu amo a Deus e sirvo a Deus nas boas e nas más também”. E isso é o que Deus quer do Seu povo; e por isso é que é preciso passar pelas etapas boas e pelas etapas más também, e a pessoa se manter fiel a Cristo, servindo-o todos os dias da sua vida.

  E agora, o povo hebreu foi provado e o povo hebreu falhou. Quando vinham os momentos de prova, se rebelavam contra Moisés e, por conseguinte, contra Deus.

  E agora, Cristo usando estas palavras, “que não somente de pão viverá o homem, mas de tudo o que sai da boca de Deus”, Cristo disse, quando foi tentado pelo diabo, quando o diabo lhe disse que se era Filho de Deus convertesse aquelas pedras em pão…; pois, já estava quarenta dias sem comer, estava jejuando, e agora teve fome; e o diabo queria que convertesse aquelas pedras em pão se era o Filho de Deus.

  E o que teria acontecido…? O que era que o diabo queria? Porque se era Filho de Deus e as convertesse em pão, as comesse morreria; porque uma pessoa que está sem comer por quarenta dias, se comer um pedaço de pão, morre, porque seu sistema digestivo não está funcionando por quarenta dias.

  E, vejam vocês, se era Filho de Deus e fizesse esse milagre, o diabo ia saber que era o Filho de Deus, mas ia morrer mesmo que houvesse feito (se comesse aquelas pedras convertidas em pão); mas Jesus lhe disse: “Não só de pão viverá o homem, mas sim de toda Palavra que sai da boca de Deus”.

  A boca de Deus são os profetas de Deus, e toda Palavra que sai dos profetas de Deus para o povo de Deus é alimento espiritual para a alma do ser humano.

  Vejam; toda pessoa diariamente come, porque sabe que se não comer se debilita, se enfraquece e depois morre - adoece e depois morre. E agora, toda pessoa necessita comer lá no profundo do seu ser, na sua alma, porque de outra forma sua alma morrerá, adoecerá e morrerá.

  Mas que alimento a pessoa vai comer? Há somente um alimento para a alma do ser humano, e essa é a Palavra de Deus, a Palavra que sai da boca de Deus.

  E agora, vamos ver onde conseguimos essa Palavra de Deus. Em Deuteronômio, capítulo 18, versículo 15 ao 19, diz:

  “O Senhor, teu Deus, te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis.’

  A quem diz o profeta Moisés que o povo está chamado a escutar? Ao profeta que Deus levantar no meio do povo. Diz:

  “Conforme a tudo o que pediste ao Senhor, teu Deus, em Horebe, no dia da assembleia, dizendo: Não ouvirei mais a voz do Senhor teu Deus, nem mais verei este grande fogo, para que não morra. (isto foi no monte Sinai, o monte Horebe).

  E Jeová me disse (e aqui está falando Moisés): falaram bem naquilo que disseram.

  Eu lhes suscitarei um profeta do meio de seus irmãos, como tu (ou seja: como Moisés); e porei as minhas palavras na sua boca (Onde Deus coloca Suas palavras? Na boca do profeta que Ele levanta), e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar.”

  Tudo o que Deus mandar falar esse profeta, esse profeta falará, porque Deus colocou em sua boca essa Palavra; e toda pessoa deve escutar a Voz de Deus nesse profeta.

  Há pessoas que dizem: Não me interessa escutar a Palavra de Deus, não me interessam as coisas de Deus, as coisas religiosas.” Toda pessoa tem o livre-arbítrio; e por quanto toda pessoa tem livre-arbítrio, toda pessoa decide se vai escutar ou não vai escutar; ninguém pode obrigar escutar ou não escutar, porque toda pessoa é responsável diante de Deus por si mesmo.

  E agora, o que será das pessoas que não escutarão? Bom, vamos ler aqui:

  “E será que qualquer que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, eu o requererei dele.”

  Que se acerte depois com Deus, porque Deus é quem vai pedir conta a pessoa por não ter escutado essa Palavra de Deus.

  E no livro dos Atos, capítulo 3, versículo 22 ao 23, aqui está sendo citado por São Pedro (está citada esta passagem), e diz:

  “Porque Moisés disse aos pais: O Senhor, vosso Deus, levantará dentre vossos irmãos um profeta semelhante a mim; a ele ouvireis em tudo quanto vos disser.

E acontecerá que toda alma que não escutar esse profeta será exterminada dentre o povo.”

  Será exterminado e perde o direito a pertencer ao povo de Deus, perde o direito à vida eterna; e ninguém quer perder o direito a viver eternamente, e menos viver em um corpo eterno como o que Deus tem para o ser humano que escuta a Voz de Deus.

  “Quem ouve minha palavra…”, diz Cristo, o que tem? Vamos ver. Em São João, capítulo 5, Cristo diz a bênção que há para os que escutam a Sua Palavra; diz (capítulo 5, versículo 24):

  “Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida”.

  Passou de morte a vida. Quando nascemos nesta Terra nascemos no meio de uma raça caída, no meio de uma raça morta espiritualmente com Deus; diante de Deus o ser humano se encontra nessa condição caída; mas quando recebe a Cristo como seu Salvador e lava seus pecados no Sangue de Cristo e recebe Seu Espírito Santo, essa pessoa passou de morte à vida eterna, já tem vida eterna essa pessoa quando recebeu a Cristo, e já recebeu um corpo teofânico da sexta dimensão.

  E agora, vimos onde Deus coloca Sua Palavra: na boca do profeta que Ele envia. Assim foi em cada profeta que Deus enviou, assim foi também em Jesus Cristo, assim foi nos apóstolos do Senhor Jesus Cristo e assim foi nos sete anjos mensageiros das sete eras da Igreja gentia.

  São Paulo dizia: “Já não vivo eu, vive Cristo em mim”. A Palavra, a Mensagem que Paulo pregava era a Mensagem de Cristo, a Palavra de Cristo para aquela primeira era no meio dos gentios; e assim foi de era em era através da manifestação de Jesus Cristo em Espírito Santo em cada anjo mensageiro.

  Cristo disse em São João, capítulo 10, versículos 14 ao 16:

  “Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido.

Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai e dou a minha vida pelas ovelhas.

Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco (ou seja: que não são do redil hebreu; são gentios); também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor.”

  E como vão escutar a Voz de Cristo, se Cristo morreu, ressuscitou e subiu ao Céu e está no Trono de Deus, no Templo que está no Céu, fazendo intercessão como Sumo Sacerdote lá? Por meio da manifestação de Jesus Cristo em Espírito Santo em Seus mensageiros, de era em era estivemos escutando a Voz de Cristo, Cristo esteve falando às Suas ovelhas entre os gentios e esteve chamando e juntando Seus filhos, os quais têm Seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro desde antes da fundação do mundo.

  E a pessoa não sabe que tem seu nome escrito ali até que escuta a Voz de Cristo na era que lhe corresponde viver e chega essa Mensagem diretamente à sua alma e lhe estremece ali a alma; e desperta sua alma, desperta desse sono espiritual, desperta à realidade, percebe que Deus está falando diretamente à sua alma, percebe que há vida eterna depois da morte, percebe que aqui na Terra estamos vivendo somente uma temporada muito curta para um propósito Divino.

  Não estamos aqui por mera casualidade, estamos aqui porque Deus nos enviou a viver neste planeta Terra uma temporada para fazer contato com Seu Programa, para ocupar nossa posição no Corpo Místico de Cristo e aí obter vida eterna, para, depois, quando os mortos em Cristo ressuscitarem em corpos eternos, os que vivemos sermos transformados e ter o corpo eterno, e viver com Cristo por toda a eternidade.

  Quem que não faz contato com Cristo e Seu Programa correspondente à era em que vive perde o direito à vida eterna; mas Cristo disse: “Minhas ovelhas ouvem minha Voz e me seguem.”

  Portanto, a Mensagem de Cristo em cada era foi pregada, e os que são de Deus escutaram Sua Voz na era que lhes correspondeu viver; ninguém teve que obrigá-los a crer, porque eles, lá em sua alma quando escutam a Voz de Cristo respondem a esse chamado, sua alma desperta e percebe que é um filho ou uma filha de Deus e diz: “Senhor, que queres que eu faça?”

  Como disse Saulo de Tarso. Quando se encontrou com Jesus Cristo naquela Luz e falou, Saulo disse: “Senhor, que queres que eu faça?”

  E Cristo lhe mostra Seu Programa para o tempo em que a pessoa está vivendo, crê em Cristo como seu Salvador, lava seus pecados no Sangue de Cristo, recebe o Espírito de Cristo e assim nasce de novo, nasce no Corpo Místico de Cristo, se torna um membro do Corpo Místico de Cristo (ou seja: da Igreja de Jesus Cristo nosso Salvador), e assim a pessoa é selada no Reino de Deus com o Espírito de Deus para viver por toda a eternidade. Vejam vocês o simples que é o Programa Divino.

  E agora, já transcorreram sete etapas ou sete eras da Igreja gentia. Este diagrama, usado pelo reverendo William Branham, representa a Igreja de Jesus Cristo passando por suas diferentes etapas, e aqui temos os mensageiros de cada uma dessas etapas; e já para o Último Dia chegamos à Era de Ouro da Igreja de Jesus Cristo, que é a Era da Pedra Angular.

  Para cada era do passado houve um território onde se cumpriu cada era e onde Deus chamou Seus escolhidos, e à medida que foi passando o tempo Cristo foi se movendo em Espírito Santo de território em território e de mensageiro em mensageiro, chamando e juntando os Seus escolhidos nos diferentes tempos e eras e diferentes territórios.

  E agora onde Cristo está chamando e juntando Seus escolhidos? Vejam a primeira era da Igreja gentia se cumpriu na Ásia Menor, e São Paulo foi o mensageiro; a segunda se cumpriu na França, e Irineu foi o mensageiro; a terceira na Hungria e na França, e Martin foi o mensageiro; a quarta foi na Irlanda e Escócia, e Colombo foi o mensageiro; a quinta foi na Alemanha, e Lutero foi o mensageiro; a sexta foi na Inglaterra, e Wesley foi o mensageiro; a sétima foi na América do Norte, e o reverendo William Branham foi o mensageiro. Nesses mensageiros, Cristo esteve manifestado chamando e juntando Seus escolhidos, chamando e juntando Suas ovelhas.

  E agora, onde Cristo está chamando e juntando Suas ovelhas? Onde Cristo cumpre a Era da Pedra Angular? Pois vejam, a boa notícia é que é na América Latina e no Caribe onde Cristo se manifesta como o relâmpago resplandecendo e nos iluminando o profundo de nossa alma e do nosso entendimento, para assim compreender Seu Programa correspondente ao nosso tempo, para assim escutar Sua Voz e ser chamados e juntados neste tempo final, na etapa da Era da Pedra Angular, e assim se completar o Corpo Místico de Cristo neste Último Dia com latino-americanos e caribenhos.

  E isto sim que é uma boa notícia para todos os latino-americanos e caribenhos: que Cristo completará Seu Corpo Místico de crentes, Sua Igreja, com latino-americanos e caribenhos.

  E os latino-americanos e caribenhos criam que Deus tinha se esquecido deles porque não pertencem às nações desenvolvidas como estas nações da Europa ou América do Norte, mas que está um pouquinho mais atrasada em alguns campos; mas quanto às coisas de Deus, quanto ao Programa de Deus, é a que vai à cabeça de todas as nações, porque é na América Latina e no Caribe onde Cristo está chamando e juntando todos os Seus escolhidos.

  E agora, é na América Latina e no Caribe onde a Voz de Cristo, essa Grande Voz de Trombeta ou Trombeta Final de Apocalipse, capítulo 1 e versículo 10 ao 11, nos fala e nos chama. Diz João:

  “Eu fui arrebatado em espírito, no dia do Senhor (recordem que o Dia do Senhor é o Último Dia, o qual é o sétimo milênio), e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta,

  Que dizia: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último.”

  Quem é o Alfa e o Ômega? Quem é o primeiro e o último? Nosso amado Salvador Jesus Cristo. É a Voz de Jesus Cristo nos falando neste Último Dia.

  Agora, como estará nos falando? Por meio de quem estará nos falando? Em Apocalipse, capítulo 4, versículo 1, diz as coisas que estará falando, as coisas que estará dando a conhecer:

  “Depois destas coisas, olhei, e eis que estava uma porta aberta no céu; e a primeira voz, que como de trombeta ouvira falar comigo, disse: Sobe aqui, e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer.”

  E como vamos subir e onde vamos subir? Vamos subir à Era da Pedra Angular, onde Cristo estará nos falando com essa Grande Voz de Trombeta do Evangelho do Reino e estará nos mostrando todas estas coisas que devem acontecer neste tempo final.

  E por meio de quem estará nos mostrando todas estas coisas (porque sempre a boca de Deus foram os profetas de Deus)? Em Apocalipse, capítulo 22, versículo 6, temos a resposta a essa pergunta:

  “E disse-me: Estas palavras são fiéis e verdadeiras. O Senhor, o Deus dos santos profetas, enviou o seu anjo, para mostrar aos seus servos as coisas que em breve hão de acontecer”.

  A quem enviou? Ao Seu Anjo Mensageiro. Para que? Para mostrar aos Seus servos as coisas que em breve devem acontecer.

  É aqui, na Era da Pedra Angular, onde envia Seu Anjo Mensageiro, assim como enviou nas sete eras a sete mensageiros através dos quais falou ao Seu povo e chamou e juntou Seus escolhidos no Corpo Místico de Cristo.

  E aqui, na Era da Pedra Angular, envia Seu Anjo Mensageiro para dar a conhecer às pessoas, a todos os filhos e filhas de Deus, todas estas coisas que em breve devem acontecer, e assim chama e junta Seus escolhidos na Era da Pedra Angular; e esta é a era que corresponde aos latino-americanos e caribenhos. É aos latino-americanos e caribenhos que envia Seu Anjo Mensageiro lhes dando a conhecer todas estas coisas que em breve devem acontecer.

  E em Apocalipse, capítulo 22, versículo 16, diz:

  “Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas.”

  Para dar testemunho de que coisas? De todas estas coisas que em breve devem acontecer; para isso envia o Seu Anjo Mensageiro, o envia para todas as igrejas.

  É um profeta mensageiro dispensacional com a Mensagem do Evangelho do Reino, revelando a todas as igrejas e a todos os seres humanos, todas estas coisas proféticas que estão no livro do Apocalipse que devem acontecer.

  O livro de Apocalipse é um livro simbólico e contém nesses símbolos todas as coisas que devem acontecer neste tempo final, como também contém os símbolos das coisas que aconteceriam durante todo este tempo de Cristo até aqui.

  E agora, para o Último Dia Ele envia o Seu Anjo Mensageiro para nos dar testemunho de todas estas coisas que em breve devem acontecer.

  E agora, Ele prometeu nos dar o Maná escondido. E o que é o Maná escondido? Porque todos queremos comer desse Maná escondido. Cristo é o Maná escondido, Cristo é a Palavra.

  E agora, o maná escondido no tabernáculo que construiu Moisés onde estava? Estava no lugar Santíssimo, dentro da arca do pacto. E neste diagrama temos as sete etapas ou eras da Igreja gentia e a Era da Pedra Angular. As sete eras da Igreja gentia correspondem ao Lugar Santo do Templo espiritual de Cristo, porque Jesus Cristo esteve construindo um Novo Templo.

  Já não se necessita o templo de Moisés, também não se necessita do templo de Salomão, mas Jesus Cristo esteve construindo um Novo Templo com seres humanos; e por isso é que estiveram sendo chamados e juntados os filhos e filhas de Deus para vir fazer parte desse Templo espiritual.

  Por isso é que São Pedro, nos falando desse Templo, nos diz no capítulo 2 de sua primeira carta, versículo 4 em diante:

  “E, chegando-vos para ele, a pedra viva (ou seja: aproximai-vos de Cristo, Pedra viva), reprovada, na verdade, pelos homens (foi desprezada em sua Primeira Vinda), mas para com Deus eleita e preciosa,

Vós também, como pedras vivas,…”

  Agora, nós somos pedras vivas, assim como Cristo é uma Pedra viva; uma pedra viva: um ser vivo representado em pedras, mas agora são pedras vivas.

  E agora, o que vai fazer com estas pedras vivas? Diz:

  “Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo.

  E agora, cada um de nós como indivíduos; somos uma pedra viva para ser um Templo santo para o Senhor como indivíduo e para vir fazer parte desse Templo espiritual, que é a Igreja do Senhor Jesus Cristo; e Ele esteve chamando seres humanos (que são pedras vivas) e os esteve colocando nesse Templo espiritual que Ele esteve construindo; e com todos os escolhidos que Ele chamou e juntou nas sete etapas ou eras da Igreja gentia, formou o Lugar Santo desse Templo espiritual.

  E para o Último Dia, com todos os escolhidos que Ele chama e junta na Era da Pedra Angular; forma o Lugar Santíssimo do Seu Templo espiritual, a parte mais importante do Seu Templo espiritual. A parte mais importante da Igreja de Jesus Cristo é a Era da Pedra Angular, e o povo em quem se cumpre essa Era da Pedra Angular é o povo latino-americano e caribenho.

  Assim que a bênção maior do Templo de Jesus Cristo a tem Jesus Cristo (onde?) na América Latina e no Caribe, no meio de um povo simples e humilde, mas que ama a Deus e crê em Deus, tem fé em Deus e sabe que Deus está conosco. Não importa as situações difíceis pelas quais passe a América Latina, Deus está com a América Latina e o Caribe, está com os latino-americanos e caribenhos, e está construindo o Lugar Santíssimo do Seu Templo espiritual.

  E agora, onde estava o maná escondido no tabernáculo que Moisés construiu? Estava no lugar Santíssimo; e é no Lugar Santíssimo do Templo espiritual de Cristo onde estará o Maná escondido, e estará sendo dado a todos os filhos e filhas de Deus. E esse Maná escondido, vejam vocês, é o alimento espiritual que não se corromperá; porque o maná escondido, enquanto estivesse no lugar Santíssimo, permaneceria ali intacto, porque estava na presença de Deus.

  E agora, o Maná escondido, que é a Palavra, que é Cristo, a Palavra, estará manifestado no Último Dia na revelação de Jesus Cristo para o Último Dia.

  A revelação de Jesus Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores, no Último Dia vindo a Sua Igreja na Era da Pedra Angular e Dispensação do Reino; essa revelação, a revelação de Jesus Cristo para o Último Dia, é o Maná escondido para todos os filhos e filhas de Deus; e a revelação de Jesus Cristo para o Último Dia é a Segunda Vinda de Cristo.

  Esse é o alimento espiritual que em eras e dispensações passadas nenhum ser humano pôde comer. Por quê? Porque para as eras passadas o alimento espiritual que o povo de Deus esteve comendo é o alimento espiritual da Palavra da Primeira Vinda de Cristo como o Cordeiro de Deus tirando o pecado do mundo na Cruz do Calvário; e esse é um alimento espiritual para nossa alma, mas há um alimento espiritual que esteve escondido dos seres humanos, e é a Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em sua Obra de Reclamação.

  E isso é alimento espiritual, isso é Maná escondido, essa é a revelação divina que Cristo dará a todos os filhos e filhas de Deus do Último Dia na Era da Pedra Angular, em acréscimo à revelação divina da Primeira Vinda de Cristo.

  Primeiro temos que ter a revelação divina da Primeira Vinda de Cristo e ter recebido Cristo como nosso Salvador e haver lavado nossos pecados no Sangue de Cristo.

  Para que uma pessoa quer a Segunda Vinda de Cristo se não recebe primeiro a Primeira Vinda de Cristo e os benefícios da Primeira Vinda de Cristo?

  É preciso receber primeiro a Primeira Vinda de Cristo e Sua Obra de Redenção na Cruz do Calvário — e assim receber Cristo como nosso Salvador, lavar nossos pecados no Sangue de Cristo e receber Seu Espírito Santo — para depois receber a revelação da Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em sua Obra de Reclamação, onde reclamará todos àqueles que Ele redimiu com Seu Sangue precioso, que são aqueles que o receberam como seu Salvador; os quais no Último Dia, se permanecerem vivos até que os mortos em Cristo ressuscitem, quando virmos os mortos em Cristo ressuscitados nós seremos transformados.

  Agora, para o Último Dia, os escolhidos que serão transformados primeiramente comeram o alimento espiritual de Cristo, da Primeira Vinda de Cristo, assim como encontramos que o povo hebreu esteve comendo maná do céu durante quarenta anos; mas houve um alimento, um maná, que estava escondido no lugar Santíssimo, e esse maná escondido representa a Segunda Vinda de Cristo sendo revelada a todos os filhos e filhas de Deus.

  E para o Último Dia estaremos recebendo essa revelação e nós a estaremos comendo isso lá em nossa alma; e isso será estar comendo do Maná escondido, para no Último Dia ser transformados conforme a Palavra de Cristo.

  Agora podemos ver que é para o Último Dia, para o tempo da Vinda da Pedrinha branca; vejam vocês, diz: “Ao que vencer, eu lhe darei o Maná escondido, e lhe darei uma Pedrinha branca…” Vamos ver, no capítulo 2, versículo 17 (que lemos no princípio), está:

  “Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe.”

  A Pedrinha branca é a Segunda Vinda de Cristo.

  O Nome Novo que a Pedrinha branca traz; vejam vocês… vamos ver aqui em Apocalipse, capítulo 3, versículo 12, que nos fala também de um Nome Novo para que tenhamos o quadro claro; diz:

  “A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome.”

  O Senhor Jesus Cristo dá testemunho que Ele tem um Nome Novo; esse é o Nomezinho Novo na Pedrinha branca. E a Pedrinha branca é a Segunda Vinda de Cristo, é a Pedra Angular que os edificadores rejeitaram na sua Primeira Vinda.

  Em Sua Segunda Vinda vem com um Nome Novo, que ninguém conhece. Sendo um Nome Novo não é o nome Jesus, porque o nome Jesus todo mundo o conhece.

  E agora, esse é um mistério para ser revelado na Era da Pedra Angular e Dispensação do Reino para todos os que estarão comendo o Maná escondido, para todos aqueles que estarão escutando a Voz de Cristo por meio do Seu Anjo Mensageiro, que é o enviado por Cristo (para que?) para dar testemunho de todas estas coisas que em breve devem acontecer, no Último Dia; para dar testemunho da Segunda Vinda de Cristo, da Vinda dessa Pedra não cortada por mãos com esse Nome Novo; para dar testemunho do Programa de Deus correspondente ao Último Dia, para dar testemunho do chamado da Grande Voz de Trombeta, para dar testemunho do Maná escondido, do que é o Maná escondido, e assim por diante, para dar testemunho de todo o Programa Divino correspondente ao Último Dia.

  Agora, vimos o mistério do Maná escondido: é a revelação da Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em sua Obra de Reclamação; e o Sétimo Selo (de Apocalipse, capítulo 8, versículo 1) é a Segunda Vinda de Cristo, que quando foi aberto no Céu causou silêncio como por meia hora.

  Diz assim Apocalipse, capítulo 8, versículo 1:

  “E, havendo aberto o sétimo selo, fez-se silêncio no céu quase por meia hora.”

  Essa é a Segunda Vinda de Cristo. A Segunda Vinda de Cristo ocasiona que no Céu haja silêncio como por meia hora.

  Quando foi aberto esse mistério no Céu, todos no Céu guardaram silêncio para que o inimigo de Deus, o diabo, não conhecesse esse mistério e não interrompesse o cumprimento da Segunda Vinda de Cristo, não interrompesse o cumprimento da Vinda da Pedra não cortada por mãos com um Nome que ninguém conhecia.

  Vimos que para este tempo final todo este mistério do Sétimo Selo e do Maná escondido seria revelado porque Deus enviaria Seu Anjo Mensageiro para dar testemunho de todas estas coisas que em breve devem acontecer; e assim Cristo por meio do Seu Anjo Mensageiro nos abriria as Escrituras e nos mostraria o significado de todos estes mistérios apocalípticos correspondentes a este tempo final; e veríamos, compreenderíamos então, todo o Programa Divino correspondente a este tempo final.

  E isto é para a Era da Pedra Angular, que corresponde à América Latina e o Caribe na construção do Templo espiritual de Cristo, na parte do Lugar Santíssimo, que correspondeu àa América Latina e o Caribe.

  Por isso é que eu oro pela América Latina e o Caribe, para que lhe permita entrar no glorioso Reino Milenial de Cristo, e não seja destruída a América Latina e o Caribe com os juízos divinos que hão de vir sobre a Terra durante a grande tribulação.

  Eu amo a América Latina e o Caribe e peço a Cristo que a livre desses juízos divinos que hão de vir, que permita sobreviver à grande tribulação e entrar no Reino Milenial do nosso amado Senhor Jesus Cristo, e que se encha o glorioso Reino Milenial de latino-americanos e caribenhos! Pois é na América Latina e no Caribe onde Cristo está construindo o Lugar Santíssimo do Seu Templo espiritual; portanto, que a bênção do Lugar Santíssimo do Templo espiritual de Cristo venha também sobre os latino-americanos e caribenhos e sobre todo o território latino-americano e caribenho, e possa entrar no glorioso Reino Milenial do nosso amado Senhor Jesus Cristo.

  Esse é o meu pedido diante de Deus, de todo coração, para a América Latina e o Caribe.

  Já os demais lugares não têm um mensageiro que ore por esses lugares onde se cumpriram essas eras, mas a América Latina e o Caribe sim; tem gente que ore pela América Latina e o Caribe: tem a todos vocês e a mim também orando pelo território latino-americano e caribenho.

  Chegamos ao tempo final, chegamos ao tempo onde o mistério do Sétimo Selo esteve sendo aberto e onde o Maná escondido esteve sendo dado aos latino-americanos e caribenhos na Era da Pedra Angular; onde todos estivemos escutando a Trombeta Final ou Grande Voz de Trombeta chamando e juntando todos os escolhidos de Deus.

  Cristo disse em São Mateus, capítulo 24, versículo 31:

  “E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos…”

  Essa Grande Voz de Trombeta do Evangelho do Reino revelando o mistério da Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em sua Obra de Reclamação. E assim, com esse mistério revelado, chamando e juntando todos os escolhidos de Deus. Isso é o que está acontecendo atualmente na América Latina e no Caribe.

  Este é o território da bênção de Deus no Corpo Místico de Cristo neste Último Dia, este é o território onde as bênçãos de Jesus Cristo vêm sobre a Sua Igreja para em breve os mortos em Cristo serem ressuscitados e nós os que vivemos sermos transformados e ir com Cristo à Ceia das Bodas do Cordeiro.

  Por isso é que Ele envia no Último Dia o Seu Anjo Mensageiro:

  “Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas.”

  Esse é o Anjo Mensageiro da Era da Pedra Angular e da Dispensação do Reino. É um profeta dispensacional com a Mensagem do Evangelho do Reino, que é a Mensagem da Trombeta Final ou Grande Voz de Trombeta chamando e juntando todos os escolhidos de Deus e revelando este mistério do Sétimo Selo, o mistério da Segunda Vinda de Cristo como o Leão da tribo de Judá, como Rei dos reis e Senhor dos senhores em sua Obra de Reclamação; e assim nos dando o Maná escondido na Era da Pedra Angular, na Era do Lugar Santíssimo do Templo espiritual de Jesus Cristo.

  Foi para mim um grande privilégio estar com vocês lhes dando testemunho de “O SÉTIMO SELO E O MANÁ ESCONDIDO”.

  Que as bênçãos do nosso amado Senhor Jesus Cristo, o Anjo do Pacto, sejam sobre todos vocês e sobre mim também, e que sempre nos alimente com a Sua Palavra, o Maná escondido, nossa alma; e que em breve os mortos em Cristo ressuscitem e nós os que vivemos sejamos transformados. No Nome Eterno do Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

  Deixo novamente o reverendo Miguel Bermúdez Marín conosco. Muito obrigado, e passem todos, muito boa tarde.

  “O SÉTIMO SELO E O MANÁ ESCONDIDO”.

  [Revisado abril 2019]

Encuéntrenos

Carretera No.1 Km 54.5
Barrio Monte Llano
Cayey, Puerto Rico
00736

Twitter