ImprimirImprimir

Muito bom dia para todos os presentes e os que estão em diferentes nações.

            Hoje, Dia das Mães, quero estender meus parabéns a todas as mães: Que Deus as abençoe e continue usando-lhes grandemente em Sua Obra neste tempo final!

            Quero também estender uma saudação ao doutor Miguel Bermúdez Marín e a congregação onde se encontra neste dia. Que Deus os abençoe e lhes guarde e lhes use grandemente em Seu Reino, e a todas as congregações e igrejas e ministros que estão em diferentes nações.

            Para hoje vamos ler em Hebreus, capítulo 11, versículo 1 ao 3:

            “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.

Porque por ela os antigos alcançaram testemunho.

Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.”

            Que Deus abençoe nossas almas com Sua Palavra e nos permita entende-la.

            Nosso tema para hoje domingo de escola bíblica é: “A FÉ BASEADA NAS PROMESSAS DIVINAS.” Este é o estudo bíblico para a escola bíblica de hoje domingo de escola dominical.

            A fé está baseada, descansa sobre a Palavra prometida de Deus para cada tempo. Por exemplo, temos Noé. Noé recebeu a revelação da Palavra e sobre essa revelação da Palavra estava a fé, a fé para construir a arca onde se salvariam ele e sua família. Era a fé em ação quando ele estava trabalhando na construção da arca na qual se salivaria.

            A fé sempre tem que estar fundamentada na Palavra de Deus prometida para o tempo em que a pessoa está vivendo, para a dispensação e era dessa dispensação correspondente e na qual se está cumprindo essa Palavra; porque essa é a Palavra prometida para ser cumprida da parte de Deus em Seu Programa.

Por isso é que há sete dispensações; para cada dispensação há, digamos, sete eras; e em cada etapa há Palavra prometida para ser cumprida. E essa é a Obra que Deus realiza no meio de Seu povo dessa dispensação, em cada era: cumprir o que Ele prometeu àqueles e com aqueles que o creem de todo coração, os quais recebem a revelação dessa Palavra; e a Palavra vem a ser vivificada, vem a ser cumprida nessa etapa, nessa era de cada dispensação; e isso é ter a revelação de Deus para o tempo em que a pessoa está vivendo.

Sempre houve e existem muitas religiões, interpretações humanas; mas quando a revelação de Deus vem à pessoa e ele crê de todo coração, se torna realidade na pessoa a promessa para esse tempo; porque ele é colocado com o grupo correspondente para essa era, como qual Deus esta tratando. E para cada era de cada dispensação tem um mensageiro que encabeça o grupo dessa era; e Deus os junta com o mensageiro, porque através do mensageiro é que vem a revelação de Deus para o povo; primeiro vem ao mensageiro e depois ao povo. Vem da parte de Deus por meio do Espírito de Deus, o Espírito Santo, o Anjo do Pacto.

            E já passaram algumas dispensações, e estamos no fim da sexta dispensação para a introdução à sétima dispensação, a Dispensação do Reino, que esta por se abrir muito em breve; o qual contém uma introdução a essa dispensação, porque se entrelaça uma dispensação com outra; enquanto esta finalizando uma, está dando início a outra, está sendo introduzida outra dispensação. Assim é também com as eras; uma era se entrelaça coma outra era. E Deus já está preparando tudo para a introdução da sétima dispensação, que é a Dispensação do Reino, do Reino de Deus, para ser estabelecido neste planeta Terra.

            Portanto, estamos no tempo mais glorioso da Dispensação da Graça. Onde se encerrará a Dispensação da Graça com a ressurreição dos mortos em Cristo e a transformação daqueles que estão vivos em Cristo, no Corpo Místico de Cristo, e em seguida ir à Ceia das Bodas do Cordeiro no Céu, e estar ali em um período de tempo correspondente enquanto a Terra passa pelo período de tempo de três anos e meio da grande tribulação, onde os ministérios das Duas Oliveiras estarão manifestados na Terra.

            Eles revelarão as coisas que acontecerão na grande tribulação, como fez Moisés, que revelava os juízos divinos que viriam sobre o Egito naquele tempo. Ele recebia a revelação de Deus do juízo que viria e o revelava; e se materializava essa Palavra, porque era a Palavra de Deus criadora para trazer esse juízo divino. Não era a palavra de Moisés mas a Palavra de Deus, a que era falada do que iria acontecer e acontecia. Isso é Deus falando através de Moisés.

            Portanto, por quanto, no tempo da grande tribulação, conforme Apocalipse, capítulo 11, estarão as Duas Oliveiras (que são os ministérios de Moisés e Elias falando, revelando as coisas, os juízos que virão), sabemos que será como no tempo do profeta Elias e como no tempo do profeta Moisés.

            Será um tempo muito difícil par a raça humana, porque será o tempo da Festa das Trombetas, que é para os judeus; e que é esse tempo o tempo em que o juízo é realizado para toda a humanidade. Por isso é o dia de Malaquias, capítulo 4, onde nos diz: “Eis que vem o dia ardente como forno, e todos os soberbos e todos os que cometem iniquidade serão palha; aquele dia que virá os abrasará (ou seja, os queimará), disse o Senhor”. Mas antes que venha esse dia, diz: “Enviar-lhe-eis a Elias”.

            Ou seja, que estamos em um tempo de entrelace dispensacional; portanto, temos que estar preparados, porque antes da grande tribulação a Vinda do Senhor recolhe os escolhidos, lhes dá a fé, a revelação para serem transformados e raptados, aos que estejam vivos; e aos que morreram os trará com Ele em Sua Vinda e os ressuscitará em corpos glorificados, como aconteceu no tempo da ressurreição de Cristo.

            Podemos ver que tudo isto no tempo passado ocorreu na Era da Vinda do Senhor, que é a Pedra Angular, portanto, ocorreu na Era de Pedra Angular; porque o que é o mensageiro também é a era, a Era de Pedra Angular, para a Vinda da Pedra Angular.

            E se lá foi na Era de Pedra Angular a ressurreição dos santos que haviam morrido, tem que ser também a ressurreição dos santos do Novo Testamento na Era de Pedra Angular. Essa é a Era de Ouro, a Era da Vinda do Senhor, a era mais importante de todas, com a qual Deus coroa Seu Corpo Místico de crentes, Sua Igreja.

            A Era de Laodiceia já passou, fechou a porta ao Senhor.

            Ele, batendo na porta, chama e diz: “Se alguém abrir a porta entrarei a ele, e cearei com ele”. E assim como de era em era foi aberta a porta ao Senhor pelo mensageiro de cada era, aqui nos diz Apocalipse, capítulo 3, versículo 20 ao 22:

            “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo (se vai cear, é tempo da tarde).

Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.

            Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas”.

            Alguém vai se sentar com Cristo no Seu Trono, assim como Cristo se sentou com o Pai no Trono celestial; e Cristo promete que alguém vai se sentar em seu Trono terrenal, o Trono de Davi. E, quem foi o que se sentou no Trono celestial com o Pai? O mensageiro da Era da Pedra Angular, Jesus Cristo.

            Portanto, tem que haver alguém no tempo final na Era da Pedra Angular, que terá esse privilégio; e ele e seu grupo serão bem-aventurados, porque tem que ser o mensageiro que corresponde a essa era e seu grupo aqueles que receberão a maior bênção no Reino de Deus na Terra.

            “Os santos julgarão ao mundo” [Primeira aos Coríntios 6:2]. Lembrem que os santos são os membros da Igreja do Senhor Jesus Cristo. Eles são sacerdotes, são juízes também, e lhes corresponde uma posição muito grande com Cristo no Reino de Deus quando for estabelecido na Terra.

            Quando for estabelecido na Terra, depois da grande tribulação, nos veremos no Reino não dos gentios, mas no Reino de Deus que será estabelecido; e reinaremos com Ele, como diz... Apocalipse 20, versículo 4 em diante, diz:

            “E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos.”

            Isso é para começar, mil anos reinando para começar, no Reino de Deus que será estabelecido na Terra. Quando estivermos no Reino veremos a diferença que há do reino dos gentios com o Reino de Deus.

            Também Apocalipse, capítulo 1, versículo 4 em diante diz:

            “João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono;

E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Àquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados,

E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém.”.

            Nos fez reis e sacerdotes; e isto é da Ordem de Melquisedeque, reis e sacerdotes da Ordem de Melquisedeque.

            E Apocalipse, capítulo 5, versículo 9 ao 10, diz:

            “...E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue nos compraste para Deus de toda a tribo, e língua, e povo, e nação;

E para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra.”

            Isso é o que Cristo fez por nós; nos redimiu com Seu Sangue e nos fez para Deus reis e sacerdotes. É um reino de reis e sacerdotes e juízes, porque os mesmos sacerdotes e reis também são juízes, juízes que julgarão; por isso diz que os santos julgarão ao mundo. E tudo isso está muito próximo.

            Estamos tão perto que nenhuma outra era esteve tão próximo como nós; porque é a Era de Pedra Angular, a Era de Coroa, que coroa a Igreja do Senhor Jesus Cristo para a adoção dos filhos e filhas de Deus, para a redenção do corpo, para ter o corpo novo, eterno, imortal e glorificado, igual ao de Jesus Cristo nosso Salvador. Quando estivermos nesse corpo seremos revestidos com a vestimenta de reis, sacerdotes e juízes.

            Estamos muito, mas muito perto; e podemos dizer: “Grande é a herança que nos correspondeu”. Tudo isso é o Programa Divino. Nós não fizemos nada, mas Deus. E a nossa parte é que, porquanto fomos eleitos desde antes da fundação do mundo, recebemos a revelação da Palavra, Deus nos mostrou quais são as promessas para este tempo, cremos e temos trabalhado baseados nessas promessas; porque quando se crê numa promessa, se trabalha sobre a base dessa promessa.

            Por isso encontramos que Jesus dizia: “Diz a Escritura...; não diz a Escritura tal coisa?”; porque Ele veio cumprir o que a Escritura dizia a respeito dEle. Todo o Programa que Ele trazia era o que estava prometido que Deus faria naquele tempo: a redenção do ser humano, morrendo como o Sacrifício da Expiatório pelos nossos pecados.

            Ele veio para fazer a vontade do Pai; e Deus lhe mostrava cada cosia que Ele tinha que fazer, o Pai lhe mostrava fazendo-o, e Ele o repetia aqui na Terra. Por isso Ele dizia: “Como eu vejo o Pai atuar, assim o faço”. [São João 5:19]

            Portanto, vemos que há um Programa Divino que esteve selado e que é selado, e se abre no cumprimento; e Deus permite aos escolhidos de cada era ver o Programa Divino, o qual creem, e consequentemente tem fé. A fé entra em ação para realizar o trabalho que corresponde nesse tempo, de acordo ao que está prometido para esse tempo. Por isso vemos Jesus Cristo fazendo o que no Programa Divino correspondia para aquele tempo.

            Em seguida, através das eras podemos ver a Igreja fazendo o que corresponde para cada Era; e em nosso tempo podemos ver a Igreja fazendo o que corresponde para este tempo. Isso é o Espírito Santo operando, dando a revelação; a pessoa crendo e em marcha trabalhando no Programa Divino para nosso tempo.

            Tudo o que esta prometido que Deus fará neste tempo, Ele o fará através de Seu Espírito através de Sua Igreja, através de Sua Igreja encabeçada pelo Espírito Santo no mensageiro e seu grupo dessa era. E tudo será simples. E tudo isso dará lugar à introdução do Reino Milenial na Terra.

            Como foi introduzida a Dispensação da Graça nos dias de Jesus e os apóstolos, assim em nosso tempo será introduzido o sétimo milênio sob a Dispensação do Reino.

            E nos veremos no Reino; porque nossa fé está baseada nas promessas divinas.

            “A FÉ BASEADA NAS PROMESSAS DIVINAS”.

            Foi para mim um privilégio grande estar com vocês nesta ocasião.

            Que Deus lhes abençoe e lhes guarde.

            Desculpem a ronquidão. Em alguns – em muitos lugares dizem que essa é a ronquidão de adolescente, porque os jovenzinhos de 13 a 15 anos tem a mudança da voz e tem ronquidão; e estamos esperando uma mudança.

            Que Deus os abençoe; e continuem passando uma tarde feliz, cheia das bênçãos de Cristo nosso Salvador.

            Deixo em cada país o ministro correspondente. Deixo o reverendo José Benjamim Pérez a continuação.

            Deus lhes abençoe e lhes guarde a todos.

            “A FÉ BASEADA NAS PROMESSAS DIVINAS”

Encontre-nos

Carretera No.1 Km 54.5
Sector Montellano
Cayey, Puerto Rico
00736

Twitter